Geral 04/07/2019 - 15:56 - Valdenice Rodrigues/Governo do Tocantins

Controladoria-Geral do Estado já capacitou 811 servidores em um ano

“A capacitação é uma importante ferramenta de controle da gestão pública”: Senivan Almeida de Arruda “A capacitação é uma importante ferramenta de controle da gestão pública”: Senivan Almeida de Arruda - Valdenice Rodrigues/Governo do Tocantins
Servidores de órgãos e entidades do Executivo recebem diversos treinamento na CGE Servidores de órgãos e entidades do Executivo recebem diversos treinamento na CGE - Valdenice Rodrigues/Governo do Tocantins
Auditório da Controladoria sedia capacitações com regularidade Auditório da Controladoria sedia capacitações com regularidade - Valdenice Rodrigues/Governo do Tocantins

O aperfeiçoamento do servidor é um dos mecanismos criados para melhorar os serviços prestados ao cidadão e um propósito da Controladoria-Geral do Estado (CGE). Neste primeiro semestre, o órgão já capacitou um total de 390 servidores do Poder Executivo Estadual.

Somam-se a esse número também 421 pessoas treinadas ano passado durante o mandato complementar do governador Mauro Carlesse. Assim, totalizam-se 811 servidores que passaram por cursos de atualização.

Foram realizadas formações nas áreas de tomada de contas especial, suprimento de fundos, processo eletrônico – Sistema de Gestão de Documentos (SGD), gestão e fiscalização de contratos, processo disciplinar, sindicância e capacitação de interlocutores de ouvidorias e serviços de informações aos cidadãos (SICs) das unidades do Poder Executivo.

A meta do órgão para este ano inclui ainda cursos nas áreas de formalização processual, sindicância e apuração de responsabilidade de reconhecimento de despesas, adesão à ata de registro de preço e termo de referência.

Ferramenta de controle

A formação é uma importante ferramenta de controle da gestão pública, como observa o secretário-chefe da CGE, Senivan Almeida de Arruda. “O plano de gestão da Controladoria privilegia as capacitações como forma de promover a prevenção que é fator essencial para o processo de controle, ou seja, o conhecimento técnico e teórico aponta o caminho a ser percorrido para a eficiência e a eficácia da aplicação dos recursos e a efetividade das políticas públicas”, destaca o gestor.

Com as formações, o secretário observa que são atendidas também as recomendações do Tribunal de Contas do Estado (TCE/TO), órgão que responde pela análise das contas dos ordenadores de despesas e emite parecer prévio das contas do governador, antes de serem julgadas pela Assembleia Legislativa. “É essencial seguirmos as diretrizes do órgão máximo de controle externo, como determina a nossa Constituição”, conclui o secretário.

Servidores da CGE

Além de ofertar cursos a outras pastas, a Controladoria também promove e estimula a capacitação dos servidores do próprio órgão. Este ano, além de passarem pelas formações da CGE, também já participaram de treinamentos externos como os de sistema de convênios federais, defesa do usuário, combate à corrupção e à lavagem de dinheiro.